GENEALOGIA DA FAMÍLIA BORGES FORTES
 

BIOGRAFIA DE JOÃO PEREIRA DA SILVA BORGES FORTES

               É certo que titulares houve, no Império do Brasil, como em outras monarquias, que se esforçavam  para  obter  títulos  nobiliárquicos,
a eles candidatando-se. Uns libertavam escravos nas grandes datas de família, outros doavam grandes importâncias  para manter o exército em
em operações no exterior ou preparavam faustosas recepções aos membros da Família Imperial. Tudo isso comovia o  Imperador  e  dentro  em
pouco lá vinha, com uma condecoração de Cristo, Rosa ou Cruzeiro, o título nobiliárquico, com ou sem as honras de grandeza. Um ilustre brasi-
leiro, entretanto,, recusou, delicadamente, o título cobiçado. Achava ele que a simples recepção do estado-maior de Sua Majestade,  na  fazen-
da de sua família, não justificava o título de Barão. Bastavam-lhe a amizade de seu soberano e as comendas da Rosa e  de  Cristo,  que  este  lhe
conferira. Desse mesmo cidadão ilustre diria, da Assembléia Legislativa, o grande conselheiro Gaspar da Silveira Martins, seu mais ferrenho  ad-
versário político: " Ao Dr. Borges Fortes nada se negue nesta casa. Ele é um grande patriota".
                Nasceu João Pereira da Silva Borges Fortes na freguesia de Nossa Senhora da Conceição de Cachoeira, hoje Cachoeira do Sul, em 05 de
Julho de 1816 e faleceu em São Vicente do Sul  em 07 de Janeiro de 1893, com a idade de 76 anos.  O  sobrenome  Borges  Fortes  ele  tirou  dos
avós maternos, Antonio Gonçalves Borges e Joana Rosa Pereira Fortes, não só como prova de reconhecimento e estima como para diferenciar-se
de homônimo quando cursava a Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. Foi batizado em 20 de Julho de  1816  na  freguesia  de  Cachoeira
pelo Vigário Inácio Francisco Xavier dos Santos, servindo de padrinhos João Pereira Fortes, representado  pelo  Sargento-mor  Joaquim  Severo
Fialho de Mendonça e Leocádia Soares.
                Era filho legítimo de Manoel José Pereira da Silva e de Emerenciana Antonia da Silva. Foram filhos do casal: 1 - Manoel José Pereira da
Silva Continentino(nascido com o sobrenome Borges Fortes, trocando o mesmo por problemas políticos quando se encontrava no Rio de Janei-
ro cursando a Faculdade de Medicina), nascido em São Gabriel e falecido no Rio de Janeiro, doutor em medicina pela Universidade  de  Paris  e
médico da imperial câmara, casado com Maria Adelaide da Costa, com sucessores: 2 - João Pereira da Silva Borges Fortes, nosso  biografado,  3:
José Gonçalves Pereira, estancieiro, casado com Balbina Ferreira, com sucessores: 4 - Beraldo Pereira da Silva, falecido solteiro: 5 - Antonio  Pe-
reira da Silva, casado com Ana Francisca Rodrigues, com sucessores: 6 - Gaspar Pereira da Silva, casado em primeiras núpcias com  Cândida  Pa-
vão de Azambuja e em segundas, com Maria José da Costa, ambas com sucessores: 7 - Maria da Silva Batista Pereira, casada com o Major  João
Rodrigues Batista Pereira, com sucessores.
                O pai de João Pereira da Silva Borges Fortes, que era fazendeiro e proprietário da  Fazenda  Inhatium  em  São  Gabriel, foi Tesoureiro
Geral da República de Piratini e suplente de deputado à Assembléia Constituinte e Legislativa instalada em Alegrete a 01 de Dezembro de 1842.
                Fazendo os primeiros estudos em sua vila natal e depois na capital da Província, foi o jovem encaminhado ao Rio de Janeiro, com des-
tino à Faculdade de Medicina da Corte. Em novembro de 1839 recebia em solenidade pública, o grau de Doutor em Medicina, merecendo apro-
vação distinta da Congregação sua tese " Dissertação sobre a afecção cirro-cancrosa", trabalho que dedicou ao Conselheiro  Dr.  José  Bonifácio
de Andrada e Silva, de quem se fez confidente e amigo, tendo-o acompanhado em seu exílio, de quatro anos, da ilha de Paquetá, onde o  joga-
ram os acontecimentos de de 02 de dezembro de 1833 (era tutor de D. Pedro II, sendo demitido pela Regência que assumiu o governo).
                Diplomado aos 23 anos, volta o Dr. Borges Fortes a sua Província natal, que encontra separada da comunhão do Império,  mas  em  si-
tuação periclitante para o novo Estado independente ali instalado. Filiou-se, de chegada, ao Partido Conservador, que militaria por mais de  40
anos e onde existiam figuras do valor de Oliveira Belo, Jacinto Mendonça e Severino Ribeiro. Muitas e amargas desilusões sofreu o jovem médi-
co de seus correligionários. Esquecia-as ou as perdoava, preocupado com o exercício de sua dignificante profissão.
                Ao terminar a luta de 10 anos, tratou de organizar um lar e a 25 de Dezembro de 1845, em São Gabriel, realizava-se seu consórcio com
Francisca de Paula Alves Vale, ali nascida e filha de Tomás Ferreira Vale e de Leonídia Alves Vale. Teve o casal a seguinte descendência:   1 - João
Pereira da Silva Borges Fortes Filho, Bacharel em Direito, promotor público e juiz de comarca, nascido em São Vicente do Sul a 19 de  Setembro
de 1846 e falecido em São Gabriel em 27 de Outubro de 1880, casado com Ofélia Abbott, com sucessores: 2 -  Tomás Borges Fortes,  nascido  em
São Gabriel em 1848 e falecido em Porto Alegre, comerciante, dedicou-se depois, à navegação fluvial,  casou  com  Manoela Peña, com sucesso-
res: 3 - Gabriel Borges Fortes, nascido em São Gabriel, casado com Maria Adelaide Mena Barreto, com sucessores: 4 - Arminda Borges  Fortes de
Oliveira, nascida em São Gabriel e falecida em Santa Maria, casada com o estancieiro Coronel José Ferreira de Oliveira, com sucessores: 5 - Luísa
Borges Fortes Prates de Castilhos, nascida em São Gabriel, casada com Carlos Prates de Castilhos, falecida em Porto Alegre,  com sucessores:  6 -
José Borges Fortes, nascido em São Gabriel, casado com Elisa Pereira da Silva, com sucessores: 7 - Leonídio Borges Fortes, nascido em 22 de  No-
vembro de 1857 em São Gabriel, fazendeiro, casado com Eduwiges de Oliveira, com sucessores: 8 - Francisco de Paula Borges Fortes,  Major  en-
genheiro militar, casado com Evangelina de Castro, com sucessores: 9 - Fernando Borges Fortes, capitão, nascido em São Gabriel e  falecido  em
Porto Alegre, funcionário da fazenda estadual, casado com Luisa Weidmann, com sucessores: 10 - Gaspar Borges Fortes, nascido em São Gabriel
e falecido em Porto Alegre  em  22  de abril  de  1918,  casado  em primeiras núpcias com Filipina  Domingues,  sem  sucessores,   em   segundas 
núpcias,  com  Maria  Augusta  Machado,   sem  sucessores,   em terceiras  núpcias  com  Anna  Cândida  de  Vasconcelos,  com  sucessores,  em 
quartas  núpcias  com Izolina Ferreira Pinto, com sucessores: 11 - Narcisa Borges Fortes, nascida e falecida em São Gabriel, sem sucessores.

                                                                                                                                                                                                       Continua, clique aqui.........